sábado, 17 de novembro de 2012

Ride...do quase não ride e do não ride.

 Hoje o ride começou aqui, nas Furnas...mas o equipamento de pedalar ficou atrás em PDL.

Graças ao Severim que por acaso tinha uns calções e um corta vento a mais foi possível ir andar de bike.
 Enquanto esperávamos pelo Gamboa, Pacheco e Luís Plácido que se atrasaram devido a problemas mecânicos, eu e o Severim investigamos uma nova linha.
 Com secções de trilho ladeados por enormes fetos arbóreos lá no topo a lembrar o jurassic park, secções de ganchos na falésia ao gosto do Chico Maia e secções de "bambuzal" a lembrar a selva vietnamita, este trilho promete.
 Um dos ganchos a meio...
A escuridão quase total na secção dos bambus.
 A vista do "quase" topo...porque o topo do trilho fica no castelo branco.
Finalmente fizeram uma casa para o cachorro, este "tadin" uiva toda a noite e todo o dia cheio frio.
Entretanto a malta das avarias ficou off-ride.

12 comentários:

Severim disse...

Foi um bom enduro! E uma estreia minha no assombroso. O joelho portou-se bem.

Davide disse...

Bolas... não faltou nada!!!!

RJG disse...

Acabamos por fazer um passeio pedestre.

melo disse...

Quem quiser fazer uma caminhada de catana na mão, tenho em vista o local ideal...

Davide disse...

Na boa ....
É só combinar!!!!

joao sousa disse...

Conta comigo para o trabalho. É sempre fixe trabalhar num novo trilho. Abraço

Francisco Faria e Maia disse...

Luís, nao fales em falésias que as vezes ainda tenho umas noites mal passadas a sonhar com isso. :) Mas ao menos estes ganchos são exequíveis montados na bicicleta? No futuro quando regressar vamos ter que fazer road books com sinaleticas para as zonas perigosas e de precipício, de modo a nao repetirmos a minha façanha.

Davide disse...

Pegando no tema do Francisco, e atendo que a malta aqui do TL, está com tendências voadoras, vejamos então os recentes voos:
Na inauguração do trilho do Pico Grande , eu que quis provar que conseguia voar com a bike, ou melhor testar a resistência do quadro da Zenith;
O voo do Bruno “trinka”, no simply the best( que graças às conteiras, não teve pior desfecho;
Recentemente o Francisco na Gaiteira, este o pior e que nos pregou cá um susto de todos os tamanhos…
Vendo bem as coisas, acho que a malta tem que se inscrever num curso de páraquedismo….

melo disse...

Aprendi num curso de socorrismo, que em determinadas atividades (como a nossa) que cada Acidente grave é precedido por dois "quase" acidentes.
Curiosamente a tua comparação vem confirmar, de algum modo, o que referi.
Todas as situações metem, bikes, curvas, desniveis laterais, todos cairam sozinhos e acima de tudo pouco conhecimento/experiência naquele trilho específico.

Francisco Faria e Maia disse...

O curso de parquedismo seria uma boa. O sítio onde iniciei a minha queda e uma boa rampa de lançamento, se abrisse o paraquedas era capaz de ser bem sucedido. Mas falando a serio, acho que para a próxima temos que ter mais cuidado. No meu caso fui ao engano e como nao tinha referencia a minha frente aconteceu o que aconteceu. Mas a culpa disso foi dos turistas que fizeram um buraco no pelotão e o facto de quem estar a subir ter todo "you can go" (com ar pacifico e sorridente), fez-me querer que o trilho estava normal... Para a próxima nao podemos deixar que existam estes cortes no pelotão. Com os GPS e com toda a tecnologia e possível que antes de irmos para os trilhos sabermos onde estão as rampas de lançamento, para que ninguém tenha surpresas.

RJG disse...

Eu sempre desconfiei desses turistas que andam pelos trilhos com ar sorridente...lol

Francisco Faria e Maia disse...

Eles são perigosos e "andim" aí... :) Cuidado com eles... :)