segunda-feira, 21 de junho de 2010

Já lá vai a sétima prova da Taça Cartão interjovem em DH. Inserido no Parque florestal da Cancela do Cinzeiro, estava um trilho feito de raiz para esta prova, contudo ficou um pouco aquém das expectativas criadas, quer em termos de extensão, dureza e dificuldade técnica. Foi talvez o evento de DH em que os custos/benefícios não foram os mais desejados para os atletas, o mesmo já não se pode dizer em relação ao comércio local. No entanto, não deixa de ser um excelente local para quem quer dar os primeiros passos na modalidade, principalmente em fim-de-semana de piquenique familiar.

Desportivamente foi competitivo com os atletas a rodarem muito próximos. Lorenço Cymbron, venceu em mais uma aparição em provas de DH, mostrando o porquê de ser um ícone da modalidade, duas participações duas vitórias. O Chico começou cauteloso e quase recuperou os dez segundos de diferença para o líder, na segunda manga. Em terceiro ficou o António Jorge que efectuou uma excelente recuperação na segunda manga.

Como este ano, provas de DH sem a “bênção” de S. Pedro não são provas, tivemos uma chuvinha de madrugada para compor a coisa. Estamos já no final de Junho e em seis provas já realizadas, cinco foram com pneus de lama.

Mais uma vez os nossos comissários estiveram em grande forma, agilizando todos os procedimentos para um bom desenvolvimento da prova.

Próximo dia quatro de Julho estaremos no Ginetes para encerrar as contas da Taça, até lá…

15 comentários:

melinho disse...

O Melo até parece cansado.

RJG disse...

Parabéns ao Melo que vai ser o justo campeão de veteranos deste ano, foi sem duvida o melhor atleta deste escalão, aliando uma muito boa condição fisica a uma grande rapidez, que lhe permitiu manter-se sempre a salvo dos ataques dos seus mais directos adversários, tendo conseguido o seu melhor resultado na prova da Maia que a par com a da Ribeira Cha foram as provas com mais velocidade deste campeonato.

O Chico também vai ser o mais do que justo vencedor deste campeonato, o Lourenço venceu ontem por uma unha, mas desta vez foi claramente favorecido pela zona de pedal que compunha a primeira secção desta prova, quem viu o Chico a descer a segunda parte da prova, notou que em termos de velocidade e tecnica, este está uns furos acima de todos os outros atletas deste campeonato, mas o que é facto é que o Lourenço também só fez 2 provas este ano e está com um ritmo de treino e competição muito abaixo de todos os outros atletas.

mariano disse...

Parabéns aos vencedores da Taça já apurados nos seus escalões, e a todos os que participam em geral, pelos bons momentos, de pura adrenalina em velocidade ou em queda, que proporcionaram aos espectadores.
A todos um bem haja e ate dia 4! :)

Sérgio disse...

Minuto 1:08 - Grande pancada na árvore!!!

Sérgio disse...

Por umtriz que o Melo não arrancou pelas raízes a arvore!! :)

jormed disse...

Mais um excelente filme do Melo. Tiro-te o chapéu por colocares os filmes aqui sem "censuras"... seria muito mais fácil cortar a parte do toque na árvore. E no seguimento disso, apreciei ainda mais o corte na música de fundo, continuando depois como se nada fosse... lol... muito bom!

Acerca do trilho e do estar (aparentemente) abaixo das expectativas...
Não conheço, não estive lá. Mas nas imagens é visivel o enorme trabalho que ali foi feito. Não tem a espectacularidade de Água Retorta? Mas com espectacularidade ou não, concerteza deu o mesmo trabalho... ou mais...

Para mais o Rui desta vez teve um acompanhamento mais à distância, pois ficou preso durante a semana anterior ao GP Liberty, juntamente com o Fábio, onde deram uma ajuda fundamental.

Se vale ou não a pena ir a Nordeste fazer a prova, como é dito pelo Gamboa no coméntário do post anterior? Essa questão nem se devia colocar. A prova está marcada. Quem tem interesse vai... quem não tem não vai.

Compreende-se o que o Gamboa diz, e claro que se tenta sempre associar a competição ao prazer de pedalar, mas quando isso não é possível, pensa-se no campeonato e faz-se o melhor possível.

A questão da divulgação é ainda mais complexa. Fazer passar uma mensagem hoje em dia, por incrivel que pareça, é muito mais complicado do que antes da era internet e TV por cabo. As pessoas têm acesso a demasiada informação e só uma MEGA-Divulgação hoje em dia tem o efeito desejado. Nos anos 80 um simples cartaz numa freguesia dava para divulgar o que fosse preciso. Hoje em dia e para o mesmo efeito desse cartaz nos anos 80, é preciso um Outdoor de 8x3m, anúncios na internet, rádio local, mails, msn, sms, facebook, blogs, jornais e TV... ufa.

A meu ver a única coisa preocupante no DH neste momento, mais do que o aparecimento de novos valores a cada ano (todos os anos tem aparecido gente nova), é o saber do porquê de não se conseguir cativar esses mais novos a continuar a praticar...
Quanto cadetes e juniores apareceram nos últimos 3 anos? Quantos continuaram ligados à modalidade? Para reflectir...

RJG disse...

Se deu trabalho ou não é irrelevante, quem se mete nestas coisas já se sabe que vai ter trabalho, por vezes com menos trabalho fazem-se coisas mais bem feitas, acredito que alguns dos drops e pequenos saltos que lá estavam deram realmente trabalho, no entanto o que é que contribuiram para a melhoria do percurso? Nada só serviam para travar os atletas em zonas em que a velocidade já era baixa.

Quanto ao facto do Fabio e do Rui terem estado ocupados com o GP Liberty na semana anterior, acho muito bem, mas achava ainda melhor se os dois responsaveis pelas provas da taça interjovem em DH, o tivessem feito, mas tivessem conseguido fazer um trilho no Nordeste ao nivel dos restantes da taça e não um trilho com 750m numa das zonas com mais potencial desta ilha, que foi uma desilusão para a maioria dos atletas.

jormed disse...

Não vou argumentar sobre a qualidade do trilho, até porque não tive oportunidade de ir a Nordeste este fim-de-semana.

Mas quando estas coisas começam a roçar a "obrigação" de fazer, entramos numa área muito delicada e nesta fase é algo que não nos leva a nada.

Só alertei para o facto de eles terem ajudado no Liberty (foram 4 dias) que provavelmente condicionaram a disponibilidade para fazer melhor em Nordeste.
Lembro-me de ver o Rui stressado porque não estava a conseguir ir ver como estavam a decorrer os trabalhos no trilho. Com isto estou a assumir uma parte das responsabilidades pelo que correu (aparentemente) menos bem em Nordeste.

Abraço.

Joao Pacheco disse...

RJG, caso não saibas o trilho foi aberto por trabalhadores dos serviços florestais do Nordeste, trabalhadores esses que fizeram com certeza o seu melhor, pois por onde o trilho passava era tudo mata de árvores em que na maior parte das vezes uma bicicleta nem passava, logo não foi mais uma mata que se limpou, e esses trabalhadores não têm culpa de fazerem saltos, por vezes, em locais menos indicados, afinal de contas nenhum deles anda no DH, logo não têm a mesma noção das coisas que nós.
Como também deves saber o Rui Botelho e o Fábio não moram propriamente ao pé do Nordeste, o que juntando ao facto de no fim de semana anterior terem dado uma perninha ao ciclismo de estrada dificultou a supervisão dos trabalhos que estavam a decorrer no trilho. Não há milagres,mas se achas que que as coisas não estão bem, podes sempre dar uma ajuda, afinal de contas conta-se pelos dedos de uma mão aqueles que vão acabar os trilhos para mais de 30 andarem nas provas, e se não me engano o Rui Botelho tem mais uns sachos lá por casa... :)


Abraço ;)

RJG disse...

Caro João Pacheco até costumas fazer uns comentários bastante construtivos, mas desta vez perdeste uma boa oportunidade de estar calado.

1º não me viste criticar nenhum dos senhores dos serviços florestais, porque obviamente não têm culpa.

2º não só ja andei de sacho na mão este ano em algumas provas, como também dei o meu contributo de outras formas.

Se não sabes, informa-te antes de falares.

Abraço

Joao Pacheco disse...

4 posts acima " Se deu trabalho ou não é irrelevante, quem se mete nestas coisas já se sabe que vai ter trabalho, por vezes com menos trabalho fazem-se coisas mais bem feitas, acredito que alguns dos drops e pequenos saltos que lá estavam deram realmente trabalho, no entanto o que é que contribuiram para a melhoria do percurso? Nada só serviam para travar os atletas em zonas em que a velocidade já era baixa "

Como te disse, quem abriu o trilho não pratica DH, logo não tem a mesma noção das coisas que nós temos, e com a falta de disponibilidade para supervisionar os trabalhos...não há milagres como te tinha dito. E sim, sabia que já andas-te este ano com sacho na mão ;)

RJG disse...

"quem abriu o trilho não pratica DH, logo não tem a mesma noção das coisas que nós temos, e com a falta de disponibilidade para supervisionar os trabalhos...não há milagres"

Tens toda a razão.

E sobre este assunto não me pronuncio mais.

Abraço

melo disse...

...o problema é que a parada estava muito alta. A Furnas quanto a mim, desvalorizou-se com a lama mas seco, adoro aquele trilho para curtir...depois veio a ribeira Chã em que o single, rápido, fluido e sinuoso fazia esquecer a porcaria daquele estradão.

Depois vem o colossal trilho de Água Retorta, a Caldeira velha melhor do que nunca e a Maia no melhor traçado de sempre...resultado...expectativas elevadas para o Nordeste, pois sabia-se que iria ser na zona do Pico Bartolomeu onde inclinação e distância é o que não falta...

Entretanto aparece uma "cancela do Cinzeiro" extremamente básica em relação aos anteriores...


Pessoalmente prefiro a "Cancela" à Batalha, Sra. da Paz, Candelária, Salto do Cabrito...e a outros traçados onde já competi em anos anteriores.

Acho até engraçado o trilho, com muitas possiblidades de evolução...lembro a todos que o Portal foi sendo construido por fases até ser o alto trilho que é hoje e ainda tem mais para dar...

Por isso, tenho a certeza que se houver vontade...aquele local poderá ficar muito melhor...

Aproveito para lembrar que isto de se deixar nas mão de leigos serviços específicos, nem sempre resulta...posso dar o exemplo do skate park da relva, um investimento falhado desde a inauguração porque o empreiteiro alterou os angulos e as dimensões das rampas adulterando um projecto desenvolvido por skaters...

Apesar de tudo, acho que temos o melhor campeonato de DH de sempre superando o saudoso 2008.

Relembro que o mesmo ainda não terminou e que ..."até ao lavar dos cestos é vindima". E acho que a malta está a agarrar os travões um pouco cedo.

Os próximos eventos de descida o Famoso DDown vai contar com a presença de alguns riders de fora, é uma excelente oportunidade para aferirmos o nosso estado de preparação após estas provas todas.

Este facto só por si, já me motiva pessoalmente.

Por isso nada de arrumar o capacete... ainda.

MOTARTE disse...

E quem fala assim, não é gago!!!

jormed disse...

Acho que o esprito deve ser esse mesmo Luís.
Intervi no sentido de chamar a atenção para o facto não "crucificarem" em demasia um projecto apenas porque este trilho não estava ao nível dos anteriores... mas aparentemente (pelo que escreves) superior a muitos outros onde já se disputaram provas em anos anteriores...
não é a melhor forma de incentivar quem tem dado muito para organizar uma competição que até agora tem sido a todos os títulos excelente.
Tomara que no XC pudessemos ter uma competição em 2011 com 50% de trilhos novos...

E a questão do DoubleDown... acho mesmo importante todos os atletas que têm participado regularmente no DHI, participarem nos 2 dias, de modo a dar o devido impacto e colorido ao evento.