sexta-feira, 18 de junho de 2010

Nordeste - Bike Trip


É já amanhã que a caravana do DH ruma ao extremo Nordeste da Ilha. Trata-se da 7ª etapa da Taça Cartão Interjovem em DH, que seria o último evento da referida taça se S. Pedro permitisse a realização do evento dos Ginetes. Pessoalmente não vejo a hora de isto terminar o corpo já pede descanso e o apelo do mar é cada vez mais forte.
Até 2007 a minha experiência em rides na zona do Nordeste limitava-se a alguns passeios pela Tronqueira, umas descidas até a Fajã do Araújo umas subidas pelo Lombo Gordo e nada mais. Até que no mês de Setembro do referido ano, juntei-me ao Narciso e ao VMA e ataca-mos o Pico da Vara descendo até á Boca da Ribeira na Vila do Nordeste. Foi uma experiência única, muito pouco ciclável, dolorosa para o físico e para a mente. Ficou o registo de sermos os primeiros e ficamos por ali.
A notícia da abertura de um trilho na zona de certamente deixou-me com muitas expectativas e a confirmar-se ser um local com qualidade, abre na zona, um pólo de interesse para os amantes das descidas.
Amanhã veremos se a "Cancela do Cinzeiro" coloca esta zona da ilha no mapa do ciclismo descendente de alta montanha, ou se, apenas será mais uma mata que se limpou para os rapazes darem umas voltas.

2 comentários:

jota disse...

tb estou com alguma espetativa acerca desse trilho. A ver vamos...

RJG disse...

Sem duvida que foi mais uma mata que se limpou "para os rapazes darem umas voltas", um trilho demasiado curto, com pouco declive e com um grau de dificuldade muito abaixo do esperado, na minha opinião o pior da taça deste ano.

No DH devesse favorecer a velocidade e o espectaculo que a mesma proporciona, e não é colocando degraus e saltos minusculos em zonas de acelaração que se vai conseguir favorecer estes dois aspectos.

A primeira parte deste trilho era demasiado lenta e penosa para os atletas, com demasiadas zonas de pedal e muito pouco agradavel de se fazer, de certeza que não vai ser este trilho que irá colocar a "Cancela do Cinzeiro" no mapa do ciclismo descendente Micaelense.

Na minha opinião, não se justifica fazer os atletas deslocarem-se tão longe para fazer uma prova destas, não só pela prova em si, mas principalmente pela muito fraca divulgação que se tem feito do DH.

Era perfeitamente percepetivel que a maioria da população do Nordeste, não fazia ideia de que se ia realizar uma prova, as pessoas que assistiram há prova foram as do costume, amigos, familiares e alguns fiéis adeptos da modalidade que têm acompanhado as provas, os locais eram muito poucos, até o Sr que vigia o parque florestal, no dia de treinos não fazia ideia que se ia realizar uma prova naquele local.

É a minha opinião.